Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Conversas de uma mãe, que é médica Ginecologista/Obstetra e adora escrever. Com sabor a chocolate.

Tudo está bem quando acaba bem

A Obstetrícia é uma especialidade fantástica: é maravilhoso perceber que há uma espécie de magia que transforma duas células num ser vivo, e poder acompanhar esse processo até ao momento do nascimento. 
Adoro Obstetrícia e gosto do cheiro a bebés que reina na enfermaria, no facto de termos maioritariamente mães e bebés saudáveis, e de ser uma especialidade cheia de coisas boas e finais felizes.
Mas é também uma especialidade onde tudo muda num segundo. Onde um desfecho perfeito se pode tornar numa tragédia em poucos instantes. E quando as coisas correm mal, é um verdadeiro drama, porque podemos ter duas vidas em risco - e ninguém está preparado para perder mães ou bebés, ou ambos.
Mas quando engravidamos, corremos na realidade risco - porque há mil e uma complicações possíveis e desfechos adversos. Felizmente, o próprio estado de grávida torna as mulheres mais despreocupadas e relaxadas, pelas próprias hormonais da gravidez, e por isso acreditamos que as coisas correm bem.
E eu vou trabalhar todos os dias com este lema em mente - que tudo vai correr bem. E que nunca podemos facilitar, porque em Obstetrícia há muito em risco.

Estas últimas 24 horas de urgência foram particularmente trabalhosas, com muitos partos e muitas situações para avaliar e decidir. E quando a meio da noite nos surge uma situação daquelas que nos faz ligar um aviso na nossa mente, a decisão certa é avançar.
E mesmo perante uma situação grave de Eclâmpsia, não há nada melhor do que tomar as decisões nas alturas certas e conseguir impedir piores desfechos.
Porque os Obstetras têm sempre duas pessoas à sua responsabilidade - a grávida e o bebé. E não podemos falhar.

(para além de termos de ter um coração de aço para aguentar o stress das complicações grávidas)

Mas, felizmente, tudo está bem quando acaba bem.
E preciso, definitivamente, de um chá para acalmar e de conseguir dormir umas horas.



1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.